3 Ideias para dares vida às tuas Fotografias Instax Mini

O que fazes às tuas fotografias instax mini depois de as tirares?

Hoje quero dar-te 3 ideias super simples. Podes fazê-las em tua casa, em poucos passos, e assim dares vida às tuas fotografias instax mini.

Moldura com 9 fotografias instax mini

Material necessário:

– 9 fotografias instax mini
– uma cartolina ou papel colorido com padrão (como as fotografias são de rebordo branco, o padrão colorido de fundo ajuda a realçar as tuas fotografias). A cartolina que vês na imagem, foi comprada na Papelaria e Livraria Modo, muito perto da nossa Fotosport de Massamá, mas com certeza não será difícil de arranjar noutras papelarias. Tem imensos tipos de papéis e cartolinas com cores e padrões diferentes para te poderes inspirar!
– um x-acto ou uma tesoura (o que te der mais jeito para cortar a cartolina/papel)
– 9 molas de metal
– super-cola

Material necessário
Material necessário

Vais precisar também de uma moldura com caixa (não precisa de ser muito funda, basta ser o suficiente para que as molas caibam). Eu escolhi uma moldura 30cm x 40cm prateada, simples. Poderás encontrar este modelo em qualquer loja Fotosport.

 Agora que já tens tudo, vamos lá começar!

Passo 1 – Corta a cartolina/papel à medida da moldura, neste caso 30cm x 40cm. Posiciona as molas na cartolina/papel primeiro antes de as colares, assim tens uma ideia do espaço que irás precisar.

Passo 1 - Moldura com nove fotografias instax
Passo 1

Passo 2 e 3 – Cola as molas na cartolina. Caso seja necessário, usa uma régua para te ajudar a colocar as molas na posição correcta.

Passo 4 – Vai colando as molas e colocando as fotografias.

Passo 5 – Por último basta pôr a montagem na moldura

Moldura com nove fotografias instax

…e escolheres o melhor sítio para a pendurar!


Moldura com 3 fotografias instax mini

Material necessário:

– 3 fotografias instax mini
– uma cartolina ou papel colorido com padrão. A cartolina que vês na imagem também foi comprada na Papelaria e Livraria Modo.
– um x-acto ou uma tesoura
– fita-cola
moldura com caixa. Como são apenas 3 fotografias eu escolhi uma moldura 20cm x 30cm prateada, do mesmo modelo que a anterior. Poderás também encontrar este tamanho em qualquer loja Fotosport.

Material necessário - Moldura com três fotografias instax
Material necessário

Tudo pronto? Vamos lá!

Passo 1 – Corta a cartolina/papel à medida da moldura, neste caso 20cm x 30cm.

Passo 2 – Posiciona as fotografias na cartolina/papel primeiro antes de as colares, assim tens uma ideia do espaço que irás precisar.

Passo 3 – Faz um rolinho de fita-cola e cola por trás das fotografias.

Passo 4 – Cola as fotografias na cartolina/papel e coloca na moldura.

Moldura com três fotografias instax

E aqui está!

 

Fotografias instax mini personalizadas

Material necessário:

– fita-cola colorida, mais conhecida como washi tape. Esta que vês também foi comprada na Papelaria e Livraria Modo.
– tesoura
– as tuas fotografias instax mini

Material necessário
Material necessário

Passo 1 – Começa por colocar a fita-cola na parte maior do rebordo da fotografia instax.

Passo 2 – Depois cobre os outros lados.

Passo 3 – Dobra a fita-cola para a parte de trás da fotografia para que não saia com facilidade.

Passo 4 – Corta com a tesoura o que sobra da fita-cola.

Cá está ela! Procura fita-cola com vários padrões e assim tens as tuas fotografias instax mini  personalizadas!

Instax colorida com fita cola

Caso não tenhas uma instax mini, podes adaptar estas ideias ás fotografias instax wide e polaroid.
Faz e partilha connosco o resultado final na nossa página do Facebook!

6 dicas para fotografar sorrisos

Na primeira Sexta-feira de Outubro comemora-se o Dia do Sorriso (World Smile Day). O que nos torna mais bonitos, a curva mais sedutora de uma mulher, uma arma poderosa para resolver todos os problemas, o sorriso é uma parte importante de nós e muitas vezes é um desafio fotografar sorrisos!

fotografar sorrisos

 

Se queres tirar fotografias divertidas, tens de conseguir fotografar sorrisos da forma mais natural e pura que conseguires. Temos algumas dicas que te podem ajudar! Aconselhamos-te a fazer esta experiência com o mínimo de duas pessoas, as nossas dicas para fotografar sorrisos são para grupos! 🙂 Não te esqueças, um fotógrafo simpático é meio caminho andado para sorrisos originais! Não tenhas medo de as tuas fotografias parecerem meio patetas, é sinal que os teus modelos estão a passar um bom bocado!

Fingir uma gargalhada

A primeira fotografia que tirares da gargalhada fingida, por si só, já vai ser muito engraçada, mas depois os teus modelos vão achar imensa piada ao momento e vai surgir um sorriso natural que vais poder fotografar!

Ficar sério 

A não ser que estejas a lidar com profissionais, se colocares os teus modelos a jogar ao sério contigo e conseguires dizer algumas piadas vai ser muito complicado eles não rirem e não fotografares um sorriso!

Olhar para alguém 

Se focares a atenção numa só pessoa do grupo a gargalhada vai ser geral! Sim, vai haver uma vítima que provavelmente se vai sentir um bocadinho constrangida, mas não deixa de ter a sua graça!

Apertar as bochechas 

Não, não é com as mãos! Mas também pode ser! Estamos a falar mesmo de encostar a cara e apertar as bochecas uns contra os outros o máximo possível para “caber na objetiva”. Se não se rirem com esta então o problema é mesmo dos teus modelos

Guerra de cócegas 

É preciso dizer mais alguma coisa? Fotografar sorrisos assim é fácil, basta que os teus modelos se sintam à vontade!

Dançar 

Não é preciso haver um bailarino profissional entre o grupo, a ideia é mesmo que a dança seja o mais engraçada possível para que todos se sintam à vontade! Se alguém quiser ser o coreógrafo melhor, assim fotografas os sorrisos de forma ainda mais fácil!

imagens de photographyconcentrate.com

Aventura-te a fotografar sorrisos e cria obras de arte à altura dos teus trabalhos. Oferece um miminho aos teus modelos também para que numa próxima experiência possas contar com eles! Melhor do que fotografar os sorrisos é poder recordar os bons momentos!

A Fotografia é uma viagem sem fim

7 horas da manhã. O dia ainda não nasceu. Sigo viagem no alfa pendular com destino ao Porto. Sinto um friozinho na barriga quando viajo, como se fosse sempre a primeira vez.

Cada vez que viajamos a experiência é diferente, mesmo que o destino seja o mesmo. Até podemos fazer exactamente as mesmas coisas, igualzinho sem tirar nem pôr, que o nosso olhar será sempre diferente!

Gosto de viajar, de descobrir novos lugares, novas gentes. Definitivamente, tenho a génese dos nossos antepassados no meu sangue. Daqueles que partiram por esses mares em busca de novos portos onde atracar, novas culturas para conhecer, novos horizontes…

Viagem ao Porto: Rio Douro e Ponte D. Luiz
Fotografia de Ana Rita Noura Silva

Olho pela janela e o sol já dá o ar da sua graça, já nos dá os seus bons dias. Digno de uma fotografia. Lá, naquele horizonte que parece tão distante e tão perto ao mesmo tempo. Naquele lugar que não sabemos muito bem onde é mas que admiramos.

A viagem dura quase 3 horas. Horas em que podemos registar tantos momentos. Tenho por companheira a máquina fotográfica. Ou o smartphone. Algo com que possa registar tudo aquilo que o meu olho vê e pelo qual se apaixona. Porque a fotografia é isso mesmo. É algo de todos e de um só. É algo tão universal e tão particular ao mesmo tempo. Tão de cada um de nós. São memórias que escolhemos captar e que assim ganham mais valor. Eternizam-se.

Viagem ao Porto - Torre dos Clérigos
Fotografia retirada do site pixabay.com.pt

Chego ao Porto e sinto-me aconchegada. O dia passa-se a descobrir cada recanto, cada rua… Vejo uma cidade sombria mas cheia de mistério. Uma cidade com tanto para nos dar.

Desde “a ribeira até à foz” como já se dizia na música de Rui Veloso.

Lembro-me de há uns dias ter visto uma imagem no Pinterest com ideias sobre decoração. E agora, ao caminhar por aqui, vejo nesta cidade todo o potencial para pôr essa ideia em prática!

Exemplo de emolduramento em caixa, retirado do blog “Athletes Abroad”, que pode ser efectuado numa loja Fotosport.

Basicamente, pegamos em objectos simbólicos de uma viagem e emolduramos tudo! Desde as moedas que nos sobraram no fim do dia, aos bilhetes do comboio ou do metro, ao postal que comprámos na lojinha da estação, quando o comboio já estava quase a partir.

Nenhuma recordação se deixa para trás! E todas elas merecem destaque em nossa casa, merecem estar à vista! Se for como eu, há sempre aquele cantinho lá em casa que ainda está meio despido, sem graça, e do qual não sabemos muito bem o que lá pôr. Então está na hora de lhe dar vida!

Quando convidarem os amigos para uma jantarada vai ser garantidamente um motivo de conversa e de avivar boas memórias. E porque não, surpreender também, a nossa cara-metade ou o melhor amigo com uma prenda destas?

Experimente! Ah, e já agora, partilhe connosco o resultado final e quem sabe até, a história da sua viagem, aquela onde tanto fotografou, e onde tanto foi feliz!

Como Não Perder as suas Fotografias

Com o aparecimento da fotografia digital, surgiram novas formas de guardar essas fotografias sem correr o risco de as perdermos.


Hoje em dia estamos mais que habituados ao digital. Desde o seu aparecimento que a nossa visão da Fotografia e do Vídeo mudou radicalmente. Milhões de fotografias digitais são tiradas todos os dias, em todo o mundo.

De acordo com o estudo realizados pelo Facebook, cerca de 300 milhões de fotografias digitais são postadas no site, todos os dias! E são apenas 20% das fotos que são tiradas!

Foto selfie no mar

Facilmente, num dia de festa, numa reunião de família ou até num dia de férias, somos capazes de tirar, numa só ocasião, acerca de 100 a 200 fotografias! Algo que, considerando que os rolos de fotografia analógicos teriam por exemplo 36 fotos, numa média seria preciso usarem-se cerca de 2 a 4 rolos fotográficos.

A fotografia e o vídeo tornaram-se tão acessíveis a todos, que novos obstáculos começaram a surgir, sendo os principais: O que fazer com tanta fotografia digital? E como não as perder?

Todos nós já tivemos azares, desde fotografias que desaparecem, telemóveis roubados, vírus que apagam tudo o que temos, etc. Para que isso não aconteça temos que nos prevenir e eis várias maneiras de como o fazer!

Faça Upload para o Facebook ou Instagram!

Ao fazer upload das suas fotografias digitais para uma rede social, não está somente a partilhar com os seus amigos mas também a guardar-las. O único senão é mesmo ter cuidado com a sua privacidade e com quem partilha as suas fotos.

Faça uma Cópia de Segurança!

Hoje em dia há várias maneiras de fazer uma cópia de segurança das suas fotografias digitais. Pode usar uma pen, um disco externo, um cd ou dvd! Existem também páginas na internet onde pode guardar de maneira segura as suas fotografias digitais. Pode guardá-las no FlickrGoogle Drive, na Dropbox, na MeoCloud, ICloud entre outras. Quase todas tem um limite de armazenamento mas pode sempre comprar mais e, além disso, muitas têm apps para smartphone, de modo a que possa enviar e guardar as suas fotos em qualquer lugar!

Faça um Álbum Digital!

Após fazer uma seleção das fotografias que mais gosta, porque não reuni-las num álbum digital ao seu gosto, criando o seu próprio livro de fotografia digital!

Seja Tradicional e Imprima!

Uma das coisas boas do digital é que agora não temos que esperar que o rolo seja revelado para podermos ver as fotografias e tê-las em mão, num instante imprimimos, seja com uma pen ou com o telemóvel, e voilá! Temos as nossas fotografias nas nossas mãos novamente. Depois é só colá-las num álbum tradicional ou guardá-las da maneira que mais gostámos!

Como não perder as suas fotos

Atreve-te a escrever com luz

Escrever com a luz
Escrever com a Luz – Smile

Já deves ter visto aquelas fotografias onde se percepciona o rasto de luz, e que cria efeitos espectaculares como formas, palavras, rabiscos…quase como se fossem grafittis feitos de luz.

Deves perguntar-te como tal é possível? Embora pareça, não é magia. É muito mais simples do que possas imaginar.

À técnica de escrever com luz, dá-se o nome de LightPainting, e esta tem por base as fotografias de longa exposição.

Só precisas de uma câmara, de um lugar escuro, de um objecto luminoso (lanterna, isqueiro, lanterna do telemóvel…) e de um local onde possas pousar a câmara de forma a que fique estável (tripé, banco, muro…).

Define o ISO para 100 (deve ser o menos sensível possível), a velocidade para 30 segundos e a abertura F11. Estes parâmetros podem e devem ser ajustados conforme os resultados.

Caso só tenhas uma câmara automática, o mais próximo será configurares a mesma para “fogos de artifício”, no entanto, o resultado estará comprometido.

Deves agora configurar a câmara no modo “self-timer”, para que o temporizador seja accionado e quando carregares no botão de disparo te dê tempo para te colocares à frente da câmara e começares a “escrever com a luz”. Podes também pedir ajuda a um amigo, ou mais para que este processo seja mais fácil e divertido também.

A ideia será acender o objecto luminoso e apontar directamente para a câmara fazendo movimentos. Dá largas à tua imaginação e vais ver que crias coisas fantásticas capazes de dar origem a fantásticos pósteres.

Escrever com luz
Escrever com a Luz – Rabiscos

Quando vires a primeira imagem, vais ver que todos os teus movimentos ficaram registados e agora só vais querer continuar e aperfeiçoar a tua técnica. Podes até compor um álbum só com a tuas experiências de escrever com a luz.

Escrever com luz
Escrever com a luz o Amor

Eu quis fazer algo diferente, e além de escrever com luz a forma de um coração, deixei que a cidade que está por detrás ficasse como background e compusesse ainda mais a fotografia.

Gostei tanto do resultado que acabei por fazer um acrílico como artigo de Decoração para uma das paredes de minha casa.

Acrilico 20x30 Decoração - Acrilico 20x30

Inspira-te e desafia-te, vais ver que vais adorar!!!